SOLAR DO VINHO DO DÃO

A história do Solar do Vinho do Dão remonta a 1122, ano em que D. Maria Seseriquiz, irmã e filhos, doaram ao prior D. Odório e  à Sé de Viseu a herdade do Fontelo.
O Paço, hoje, o Solar do Vinho do Dão, começou a ser edificado em 1399.
D. Miguel da Silva, o grande bispo humanista de Viseu que se retirou para Roma em 1540, ficou conhecido como o grande obreiro do Paço do Fontelo e da sua quinta de recreio envolvente, alindando-o à maneira renascentista. Durante o período de 1610 a 1625 o bispo D. João Manuel realiza obras na quinta e no Paço. Reedifica a capela arruinada de Santa Marta no lugar onde se vê
hoje, construindo à sua volta várias salas, como o actual Salão Principal de hoje e iniciou a galeria voltada a Nascente. O edifício foi utilizado para diferentes funcionalidades, entre outras, serviu para instalação das reservas do exército em 1912 e de Casa de Reclusão onde esteve preso Aquilino Ribeiro em 1928.
Em 1926 a Câmara Municipal de Viseu toma posse definitiva do Paço, do jardim, da mata e de parte dos terrenos anexos ao Fontelo. A recuperação deste edifício foi uma acção conjunta da Câmara Municipal de Viseu e da Comissão Vitivinícola Regional do Dão.
Teve como objectivo a instalação da Comissão Vitivinícola Regional do Dão adoptando a designação de Solar do Vinho do Dão.