Para além das condições edafo-climáticas especiais, dos métodos de produção praticados e do grande engenho e sabedoria vitivinícola da sua população, as características particulares dos vinhos do Dão estão profundamente relacionadas com o uso das castas mais apropriadas, dentro das recomendadas para a região.

Touriga Nacional Touriga-nacional

É, entre as tintas, a casta mais nobre, com o seu berço na Região do Dão. Dá vinhos de cor retinta intensa, com tonalidades violáceas quando novos. Os aromas são intensos, de elevada complexidade, a frutos pretos muito maduros, com algo de selvagem e silvestres. Na boca, os vinhos apresentam-se cheios, encorpados, persistentes, robustos, taninosos e muito frutados quando jovens. Possuem elevado potencial para envelhecimento prolongado, adquirindo nessa altura, uma elegância, um aroma e sabor aveludados inconfundíveis.

 

Alfrocheiro Alfrocheiro

Esta casta contribui para o excelente equilíbrio entre ácidos, açúcar, taninos e boa cor dos vinhos, ao mesmo tempo que lhes confere aromas frutados e finos, que lembram morangos bem maduros e que ganham complexidade com o passar dos anos.

 

 

Aragonez – Tinta Roriz Aragonez-Tinta-Roriz

Casta que intensifica os aromas de fruta madura, confere muita cor e boas graduações alcoólicas. É notório o excelente equilíbrio marcado pela qualidade dos seus taninos, assim como o equilíbrio de corpo e acidez, daí resultando vinhos harmoniosos e muito elegantes, com elevado potencial de envelhecimento.

 

 

Jaen Casta-de-Uva-Jaen

Os vinhos a que dá origem são elegantes, com teor alcoólico regular, intensos de cor e muito macios, dada a qualidade e suavidade dos seus taninos. Mas é o seu perfume intenso e delicado, lembrando um pouco a framboesa, que torna esta casta preciosa.

 

 

Encruzado Encruzado-casta

Tem a primazia entre as castas brancas. Os vinhos são de cor citrina, com bom teor alcoólico e com uma grande delicadeza, elegância e complexidade aromática, com notas vegetais, florais e minerais. São finos e elegantes no sabor, denotando um notável equilíbrio álcool/ácidos. Possuem elevado potencial para o envelhecimento surpreendendo pela sua frescura e persistência na boca. É a casta mais equilibrada do Dão.

 

 

Malvasia Fina Malvasia-Fina

Possibilita a obtenção de vinhos de cor citrina, com aromas intensos apesar de simples, com predominâncias florais, acidez equilibrada e um final elegante, ainda que de média persistência. Possui um bom potencial para o envelhecimento, com os seus vinhos a apresentar um “bouquet” extraordinário, passando a sua cor a amarelo palha, sendo de realçar a complexidade dos seus aromas associados a uma finura, equilíbrio e elegância. Misturado com outras castas do Dão imprime-lhe a “tipicidade” e a personalidade própria dos vinhos brancos da Região.